“Escreva sobre o seu tempo”: conheça as influências e histórias por trás do livro “Canções para ninar adultos” em entrevista para a TV São Judas

O jornalista Fred Di Giacomo, autor do livro “Canções para ninar adultos”, foi entrevistado por Maria Jose Preti na TV São Judas. Na entrevista Fred fala sobre suas influências, as histórias reais por trás da ficção e a necessidade de escrever sobre seu tempo e sua geração.

Se interessou pelo livro? Compre aqui!

Advertisements

Papo de Homem publica conto “Uma âncora chamada luxúria”

O Papo de Homem é um site com grande audiência e que sempre provoca bastante discussão com seus posts sobre relacionamentos, sexo, comportamento e cultura. No último domingo (16/12/2012) eles publicaram o conto “Uma âncora chamada luxúria” do livro “Canções para ninar adultos”, de Fred Di Giacomo.

O conto, que fala de uma forma crua e sexy sobre um casal que testa os limites do amor e do sexo, tem gerado comentários e discussões entre os leitores do site.

Bela imagem escolhida pelos editores do Papo de Homem para ilustrar o conto.

Bela imagem escolhida pelos editores do Papo de Homem para ilustrar o conto.

Se interessou pelo conto? A história começa assim:

Lívia reluzia tanto que cegava Bruno de paixão. Tão lúcida era ela, que o fazia inseguro. Líquida, espalhava-se sobre seu corpo, derramando prazer no torso nu do rapaz que chamava de homem. Numa sala cheia, Lívia era um detalhe. Um detalhe tremendamente bonito. Seus olhos eram miúdos, a boca carnuda, os cabelos vigorosamente negros. Escondia, em meio à beleza inquestionável, sua timidez. Gostava de música clássica e de Beirut. Sua pele branca ficava dourada no verão, passado invariavelmente em Maresias. Ria quieta, mas sempre que ria mostrava a totalidade dos dentes brancos.

Amava intensamente seus poucos homens. Bruno era o terceiro namorado, o sexto amante, talvez o quadragésimo beijo. Não contava. Para ela importava o presente – o passado era tão importante quanto um sonho ou um livro de ficção. Quem poderia garantir que o passado realmente existiu?

Trabalhavam juntos num estúdio de design. Ela era perfeitamente minimalista e ele gostava de referências, cores e complexidade. Quando Bruno abandonou a ex-namorada possessiva, passaram a flertar por Gtalk. (…)

***

Quer mais? Termine de ler a história picante de Lívia e Bruno no Papo de Homem
-Confira a resenha do livro na Playboy
-Compre o livro e leia os outros 22 contos

Lançamento do livro “Canções para ninar adultos”, de Fred Di Giacomo, acontece quinta-feira (25/10/2012) no bar Canto Madalena

Para quem ainda não sabe: o lançamento do livro “Canções para ninar adultos” do jornalista Fred Di Giacomo será realizado dia 25/10 às 19h no Bar Canto Madalena – Rua Medeiros de Albuquerque, 471 – Vila Madalena – São Paulo – SP.

Para comprar o livro, no dia do evento, só serão aceitos dinheiro e cheque. Quem preferir pode garantir seu exemplar autografado na pré-venda online da Editora Patuá.

Você pode confirmar sua presença no evento, via Facebook, aqui.

“Canções para ninar adultos”, de Fred Di Giacomo – editor dos sites da Superinteressante e Mundo Estranho – sai dia 25 com prefácio de Xico Sá

Capa do livro “Canções para ninar adultos”

Fred Di Giacomo é jornalista e coordena os sites jovens da editora Abril (Superinteressante, Mundo Estranho Guia do Estudante  Recreio). O penapolense – que escrevia contos e poesias em blogs e fanzines desde os 13 anos – agora lança seu primeiro livro pela Editora Patuá. O prefácio ficou a cargo do escritor e jornalista Xico Sá.

“Canções para ninar adultos”, chega às mãos do público em edição caprichada, no formato de compacto de vinil e dividido – como um disco – em lado A e lado B. Os 11 textos do lado A – espécie de contos de fadas pros tempos modernos – puxam para o realismo fantástico, com influências de Borges, Kafka e Murilo Rubião. Os 11 do lado B  – feios, sujos e malvados – viram o jogo para os terrenos explorados por Nélson Rodrigues, Bukowski e Rubem Fonseca, carregados de sexo, álcool e hipocondria.

Jornalistas, hipsters, rebeldes de iPhone e até o escritor Paulo Coelho convivem nos textos ágeis com náufragos, adolescentes de asa e cenários bíblicos. As ilustrações de miolo remetem a discos clássicos (Secos & Molhados, o primeiro dos Ramones), mas trazem escritores famosos no lugar dos músicos originais. No final do livro, o autor oferece um cardápio de músicas (da MPB indie de Otto e Criolo até o compositor clássico Dvorak, passando pelo jazz de Count Basie e o rebolado de Christina Aguilera) pro leitor degustar enquanto chafurda nos continhos caóticos.